sábado, 12 de janeiro de 2013

A blaster mãe da bebê boneca



É incrível notar o quanto a minha percepção do mundo se alterou depois que me tornei mãe.
Antes, eu tinha muitas certezas sobre a forma que eu gostaria de criar os meus filhos, e acreditava piamente que certas regras, que eu mesma criei, deveriam ser cegamente seguidas para que eu conseguisse ser uma boa mãe.

Dez meses depois do nascimento da Beatriz, eu posso dizer que felizmente já caí na real, e estou aprendendo, aos trancos e barrancos, que é preciso muito mais do que eu imaginava para criar uma criança.

Acontece que nem todo mundo pensa como eu. E nessas minhas andanças pelos parquinhos da vida, às vezes topo com outras mães, que, sinceramente, são umas tremendas moralistas hipócritas!

E uma delas é o nosso assunto de hoje: A Blaster Mãe!
E aí você me pergunta: "mas e a bebê boneca?"
Continue lendo que você entenderá!

Pois bem, a Blaster Mãe é a "diva da maternidade". Ela é o espelho do que todas nós deveríamos ser: a mãe cinco estrelas!

Quando a conheci pela primeira vez, me senti um pouco incomodada.
A conversa com ela já começou com questões delicadas, e eu confesso que me senti invadida.

Ela já veio me perguntando se eu amamentava, se a minha filha tinha nascido de parto natural, e se eu trabalhava fora.
Não que eu tenha um problema de conversar sobre isso, só achei bizarro que os temas viessem assim, antes mesmo das trivialidades.

Talvez seja por isso que tentei ser o mais breve na resposta:

"Sim, minha filha ainda mama, mas meu leite já está quase no fim. Ela também toma mamadeira. O parto dela teve que ser cesárea, por razões médicas. Eu ainda não estou trabalhando, mas devo voltar agora no começo do ano".

Ela, na verdade, não estava muito interessada na minha história. O que ela queria era uma deixa para a "palestra" que viria a seguir:

"Meus dois filhos nasceram de parto natural. É assim que as coisas devem ser, sabe?! Acho um absurdo essa cultura que o Brasil tem de cesarianas. Um bando de mãe preguiçosa que não quer sentir dor!"

Como assim, gente? Será que eu ouvi direito? Essa fulana acabou de me ofender, ou eu estou ficando louca?

De alguma forma, mantive a compostura, e respondi:

"Parto natural, pelo que eu saiba, e como o próprio nome diz, é aquele que acontece de forma natural. Eu queria que o meu tivesse sido assim, mas não foi. Imprevistos acontecem, como no meu caso, e a opção mais sensata é a cesariana. Minha filha, graças a Deus, nasceu saudável, e isso, pra mim, é o que conta".

Ela, percebendo o fora, tentou se desculpar:

"Ai, imagina, não quis dizer que você era preguiçosa, até porque, no seu caso, era a única solução né?! É que eu conheço muita mãe por aí que marca a cirurgia porque quer que o filho nasça logo, ou porque acredita em numerologia, ou porque tem medo de ficar "relaxada" lá em baixo, sabe? Uma bobagem!"

Minha Nossa Senhora da Censura Prévia, onde está o filtro desta mulher?
Como é que ela consegue incluir tantos julgamentos numa frase só?

E acrescentou:

"E o que é pior, não querem amamentar. Dão logo uma mamadeira pros coitadinhos e acham que está tudo resolvido! O meu filho mais velho mamou até os três anos. E essa aqui (uma bebê de aproximadamente 11 meses) continua mamando, é claro! Talvez seja por isso que ela nunca tenha ficado doente".

Nesse ponto eu já estava totalmente sem paciência, então fiquei só escutando aquela "aula". 
Queria ver onde aquilo ia dar. E ela, sentindo que tinha platéia, continuou:

"Outra coisa: minha família só come alimentos orgânicos e naturais (Ahã, mal sabe ela que o filho "mete os beiços" num Big Mac quando está com os amigos!) e acho que é por isso que a minha filha é tão saudável, sabe?! Ela dorme a noite toda, está sempre disposta, não dá birra, nunca chora, nunca dá trabalho..."

Quase perguntei se a bebezinha dela fazia "caquinha", mas achei melhor não. Ela provavelmente não entenderia a ironia por trás da pergunta.

E aqui, meus caros, entra a questão da "bebê boneca". 
Queridas leitoras e leitores: que criança NUNCA dá trabalho?
Por mais boazinha e tranquila que seja, TRABALHO é o sobrenome de toda criança.

Estou mentindo?

E qual o mal em admitir isso? Não é ofensa nenhuma, considerando que eles acabaram de chegar ao mundo, têm que aprender tudo do zero, e dependem de nós, pais, para sobreviverem.

Se vocês pararem para pensar, até as bonecas de hoje dão trabalho. 
Elas choram, mamam, comem papinha, tomam banho, e (olhem só) fazem até caquinha na fraldinha e no piniquinho. 
Analisando dessa forma, a bebê boneca da Blaster Mãe, se colocada à venda, ficaria encalhada nas prateleiras. Afinal, o que faz sucesso com as meninas de hoje são as bonecas interativas, que simulam situações da VIDA REAL!

A impressão que eu tenho é que, para algumas mães (como a nossa protagonista), certas atitudes contam pontos. E o sistema de contagem é assim: 

Parto normal: 100 pontos
Parto cesária: zero! (exceto se você ou seu bebê correram risco. Nesse caso: 50 pontos)
Amamentação exclusiva: 100 pontos
Amamentação e complemento: 50 pontos (você é uma fraca!)
Mamadeira: zero! (sua irresponsável!)
Dedicação exclusiva ao filho: 100 pontos
Trabalha em casa: 50 pontos
Trabalha fora: zero!
Coloca na creche: zero!
Tem babá: zero! (ou seja, de qualquer jeito você está errada!)
Tem babá e vai pra academia: zero! (sua dondoca deslumbrada!)
Tem babá, vai pra academia e frequenta o salão de beleza: zero! (atrocidade da natureza!)
Tem babá, vai pra academia, frequenta o salão de beleza e sai à noite com o marido no fim de semana: -100 pontos! (deveria ser linchada em praça pública!)

E você aí, já somou seus pontos?

Tá bem na fita?

Quantos pontos você fez?

Beijossss!

Até a próxima!




15 comentários:

Daiane Bomfim disse...

kkkkkkkkkkkkk me divirto muito com seus posts! esse de hoje foi muito engraçado: foi lendo e morrendo de sorrir!!!! a parte do "mete os beiços num big mac" foi a melhor"!!!! Mas o melhor mesmo é saber que, como você escreveu, filhos dão trabalho mesmo, e muito! Por mais tranquila que seja a criança, dá trabalho dar banho, dar mamá, dar comida, trocar fraldas e etc etc etc... e isso é normal e eles são uma delícia acima de tudo!
bjs
até a próxima!

Fê Veloso disse...

Daiane, obrigada por estar sempre por aqui!
Continuemos firmes, no trabalho mais recompensador do mundo: os nossos filhotes!
Beijos!

Anônimo disse...

cunhada, tô ferrada!!! kkkkk Beijo, Leila.

Mariana Belloni disse...

Oi amiga!
hj em dia existe uma competição mto grande entre as mães! é algo tão descabido, né?
cada um deve agir de acordo com as suas crenças, sabendo respeitar o espaço do próximo!
legal vc ter tratado de um assunto que considero tão grave de uma forma tão leve e divertida!
ah! lembrei da música do palavra cantada:
"Criança não trabalha, criança dá trabalho!"
bjs fofa!

Fê Veloso disse...

Leilinha,

Não se preocupe, eu também estou!
hehehehehe

Beijos!

Fê Veloso disse...

Mari,

A competição é horrorosa, mas ainda bem que tenho amigas como você para compartilhar experiências.
Se as Blaster Mães soubessem como isso é bom, talvez deixassem de ser tão chatas!
Beijosss!

Anônimo disse...

Nanda adorei o post! Lembrei da nossa visita na casa da Cíntia, ela falando que as mães recebem nota!! hahaha. Fez a coisa certa tirou 10, está de parabéns! Fez algo de errado, foi reprovada!rsrs. Bjocas Gabi :)

Ane disse...

Pura verdade Fernanda! Como existem mães que se acham superiores, né?! Abraço

Fê Veloso disse...

Gabi,
Diga pra Cíntia que a nossa conversa foi uma das inspirações pra esta história!
Beijosss!

Fê Veloso disse...

Ane, você nem imagina!
Obrigada por acompanhar as histórias!
Beijoss!

Dani Dytz disse...

Esse post da D E M A I S!!! Só não tô gargalhando pq senão acordo o Theodoro (-500 pontos hahahah) Beijo lindona!

Fê Veloso disse...

Dani, você está copiando meu gabarito! Hehehe
Quando será que a gente vai conseguir uma nota positiva, hem?
Beijosss!

Lali disse...

Muito bom. Confesso que eu era uma blaster mãe... Antes de ter 3 filhos. Agora? Desconta 500, por favor!

Fê Veloso disse...

Kkkkk...
Vamos fundar o clube das mães no negativo?
Aposto que vai ser o mais animado da cidade!
Beijosss!

Unknown disse...

Fernanda, em pouco tempo quero rir também de suas experiências com mães que possuem crianças na pré-escola ou que estão em fase de seleção da ‘melhor escola’. Vc vai se deparar com comparações do tipo: aahhhh! eu já analisei a escola xxxx e não gostei do ambiente, achei as tias sem formação adequada; aahhh! Eu não gostei da escola yyyyyy porque o currículo (??????) é muito fraco. Eu gostei mesmo foi da escola Blaster Top Advanced porque lá a criança já dá inglês, microeconomia e se prepara para o vestibular da UnB. Se vc colocar em tempo integral, é bom porque ela se acostuma logo a comer sushi e salmão no molho de maracujá e, de quebra, faz reforço para o PAS. Isso é bom, né, porque, afinal de contas, o mundo é competitivo mesmo... (Juro por Deus que ouvi algo bem parecido com isso, mas é claro que aumentei um pouquinho). Parabéns pelo blog.

A Autora

Faça Parte!

Os 10 mais lidos

Seguir por Email

Arquivo do blog

Visualizações de página